Nos meus versos...sou verbo...sou rima rica nem tão cara mediante palavras.

POESIA...PAISAGEM ADORMECIDA APÓS TORMENTAS

Carne em verbos...

Minha foto
Niteroi, Rio de Janeiro, Brazil

7 de mar de 2010

VOCÊ É...

Voce é...

Parte da essência que me completa mulher.

Você é...

Sumo que bebo sedenta e que alimenta.

Você é...

Cheiro que desperta a nudez úmida de minha alma.

Você é...

A imagem onde projeto o reflexo da fêmea de batom borrado.

Você é...

A ternura dissipada ao cair das vestes.

Você é...

Sabor arrancado de mim na ponta do teu dedo.

Você é...

Mar imenso, berço dos meus rios.

Voce é...

Asas em orgasmo a queimar,

resvalando em meu corpo em contrição, louco.

Você é...

O tino da razão, que faz de mim pecadora compulsiva.

Você é...

Existência a sublimar o momento efêmero quando somos nós

em nó que não desata.

Você é...

errata ignorada nas páginas da minha vida.

Você é...

Matéria onde minha energia fluída transcende

e, figura-se em ardor.

Você é...

O infinito do que sou.



By Vânia Moraes

7 de fev de 2010

MINHA POESIA...

É de fartura os versos de minha poesia

na fome esganada que tenho de escrever.

Versejo os sentimentos concretos em forma abstrata

como quem carrega na alma

a marca do brasão recém tirado da fornalha.

São de cores os versos de minha poesia,

tela maculada, traços,

orgia multicor que harmoniza emoções

que provocam os pensamentos

em pingos cintilantes...efusões.

São de extremos os versos de minha poesia,

são pólos, poros...

pó em abstinência poética...

É poesia...até o verso que inexiste.

É poesia o meu verso mais triste.

Sou fartura na poesia dos meus versos,

Inverso, sou verbos fartos em minha poesia.


By Vânia Moraes

1 de dez de 2009

Invernia da Saudade



Sigo por aí,
ávida por um reencontro
para juntar pedaços da alma
que eu mesma espalhei ao léu.

Quero me sentir inteira novamente,
reacender a esperança no amor
e tecer um novo ninho
para aquecer o coração
na invernia da saudade...
porque ainda estou vazio demais
para dar-me asas.



By Vânia Moraes

26 de nov de 2009



HEMORRAGIA



Mulher, é assim mesmo,
vive a testar sua resistência emocional.

Com essa história de sangrar
três dias seguidos sem morrer,
acha que a tudo irá sobreviver.

Até entrega seu coração,
a qualquer vagabundo
sem eira nem beira,
que há de faze-la chorar
lágrimas de sangue
pela vida inteira.



Vânia Moraes
PÁGINA EM BRANCO



Sentimentos castrados
são como filhos abortados,
pedaços mutilados de nós mesmos
jogado em esgotos, em abismos interiores.

Sonhos castrados...Fedem como os corpos putrefatos,
carne exposta ao tempo
que consome, que corrói fibra por fibra,
dissolvendo-os.

Poeta castrado é silêncio ensurdecedor,
é angústia pulsando feito tambor.

Poesia castrada é criação sem encanto.
Poesia castrada...EU...Esvaindo-me em sangue.
Poesia castrada...Vânia não mais Moraes...Página em branco.



By Vânia Moraes